23 setembro 2016

The Flash: Panel WiP / Vinheta em Progresso

On a slow news week, I'm taking this DC Comics' Flash vignette's WiP to fill up space, not that anyone has actually asked about my work process (more recently, anyway...)
Working from the basic layout that maped out the page, I often workout a particular scene on the side, to figure the details and try to get the most out of it; here, I sketched the panel and doodled the figure separately, so as to better compose it later, on the lightbox.

Numa semana sem notícias, preencho o vazio com o processo de trabalho deste paínel com Flash da DC Comics, não que me tenham perguntado sobre o meu método (pelo menos, mais recentemente...) 
Trabalhando com base no layout que definiu a página, frequentemente desenvolvo uma cena particular à parte, para decidir os detalhes e tentar tirar o máximo dela; aqui, esbocei a vinheta e rabisquei a figura em separado, para depois melhor a compôr, em mesa-de-luz.


I wanted to tilt the angle, to convey that The Flash was running on the walls rather than using the stairs, so I needed to make sure the perspective was right – it took different grid planes and various vanishing points. Don't forget your geometry, kids!
Quis tombar o ângulo, para mostrar que o Flash está a correr nas paredes em vez de usar as escadas, sendo importante acertar na perspectiva – o que precisou de vários planos com grelhas e pontos de fuga. Não descartem a geometria, míudos!


With everything in place, it's time to “make the magic happen.” The Flash was re-sketch on the page and further fleshed out with a 2mm magenta graphite on a mechanical pencil, to keep the “gesture” as much as possible, while the background I just drew directly from a lightbox.
Com tudo no sítio, é hora de “fazer a magia acontecer.” O Flash foi re-esboçado na prancha e melhor definido com mina de 2mm magenta em lapiseira, para manter o “gesto” tanto quanto possível, enquanto que o fundo fi-lo directamente na mesa-de-luz.


It may look like too much work for such a passing scene, but it's preferable to drawing something wonky. A professional once told me that “the most sucesseful works are the ones that cast a full illusion,” which is way it's importante to care for even the small details, that will make a big difference in the end result.
Pode parecer demasiado trabalho para uma cena passageira, mas é preferível a desenhar algo torto. Um profissional disse-me certa vez que “os trabalhos mais bem-sucedidos são os que projectam ilusões envolventes,” daí ser importante atentar até os pequenos detalhes, que farão uma grande diferença no resultado final.


21 setembro 2016

Chiaroscuro Studios Yearbook 2016: Halfway there! / Meio caminho!

The first Chiaroscuro Studios Yearbook achieved its campaign goal in just four days of crowdfunding – which isn't a record, but still damn impressive! The awesome guys behind it, Ivan Freitas da Costa and Joe Prado, plus its 50 represented artists (again, among which I've fortunate to be counted), have laid the ground for a triumphant march towards the final days of the pledges and have netted nearly double the amount they've aimed for.
But there's still time to advance-order a copy of this great book and get a few bonus – check out here some of the exclusive artwork featured in the catalogue, plus see which artists have original sketches available to offer. Your deadline is Oct. 11!

O primeiro Chiaroscuro Studios Yearbook atingiu o objectivo
do apoio em apenas quatro dias de campanha – o que não é um recorde, mas ainda assim bastante impressionante! Os responsáveis, os fantásticos
Ivan Freitas da Costa e Joe Prado, mais os 50 autores representados (de novo, entre os quais me orgulho de constar), traçaram assim um triunfante caminho para os últimos dias do projecto e já angariaram quase o dobro da quantia perspectivada.

Mais ainda há tempo para fazer uma reserva deste grande livre e obter um bónus – vejam aqui alguns
trabalhos exclusivos a figurar no catálogo e descubram que artistas ainda têm desenhos originais disponíveis para oferta... O prazo acaba a 11 Out!

19 setembro 2016

Blast from the Past: Fantasia Studios



Fantasia has turned 20 years old! Fantasia Studios was a group of newcomer sequential artists that banded together as the first Portuguese comics influenced informal studio, composed of Ana Freitas, Daniel Maia (aka Dan Silva), Eliseu Gouveia (aka Zeu), Fernando Lucas, Jorge Coelho, Pedro Potier and Rui Filipe.
Existing from early 1996 until 1998, we begun by publishing the anthology Fantasia Studio Portfolio, not distributed for retail sale, but rather to engage publishers, and was followed by the fanzine BDzona, with #0 as a sketchbook featuring artwork by all authors, and #1 featuring short-comics by half of the group, but with #2 later being discontinued. The authors also collaborated among themselves and had illustrations shown in various trade magazines and comics fanzines, including a mention in Larousse's Comics Encyclopedia.
Although we parted ways, a few remained colleagues in the editorial illustration field and some went on to become professional comics artists. A few members reunited a few years later to form other comics production studios, like Aparte and Banzai, and later on, gathering with colleagues from the Bica Studio, formed the first version of The Lisbon Studios.


It has been recurrent to celebrate the studio's anniversary with a collaborative jam-piece; in 1996, a recreation of Heroes Reborn started the tradition and, in 2000, a Marvel Knights jam followed; maybe we'll do another one quite soon.


Clock-wise credits: Jam #1 - Potier (Captain América), Lucas (IronMan), Filipe (Thor), Freitas (Human Torch), Zeu (Mr.Fantastic) and Maia (The Thing & Invisible Woman); Jam #2Freitas (Elektra), Lucas (Punisher), Filipe (Black Widow), Potier (Daredevil),  Zeu (Dr.Strange), Maia (Black Panther) and João Tavares (Ghost Rider - guest artist).

Disregarding a few self-conclusive short-stories, I worked on four concepts during my time with Fantasia: Gennan (1996) in Fantasia Studio Portfolio; Rampage (1996), introduced in BDzona #1, and with a 2nd story unpublished, meant for #3; The Guys (1996), written by Pedro Potier, in BD-in-Folio #1; and Vesta's Company (1997), written by Eliseu Gouveia, also unpublished.



O Fantasia fez 20 anos! O Fantasia Studio foi um grupo de jovens autores de BD que se reuniu para formar o primeiro estúdio Português informal influenciado por comics, composto por Ana Freitas, Daniel Maia (aka Dan Silva), Eliseu Gouveia (aka Zeu), Fernando Lucas, Jorge Coelho, Pedro Potier e Rui Filipe.
Existindo desde o início de 1996 até 1998, começámos por publicar a antologia Fantasia Studio Portfolio, sem distribuição comercial e direccionado para abordar editores, seguido do fanzine BDzona, cujo #0 figurou desenhos dos autores, em jeito de sketchbook, e o #1 reuniu BDs por metade do grupo, sendo o #2 descontinuado. Os autores colaboraram várias vezes entre si, para além de editarem ilustrações em revistas da especialidade e fanzines, incluindo uma menção na Enciclopédia da BD Larousse.
Apesar de nos termos separado, alguns continuaram colegas no campo da ilustração editorial e outros vieram a tornar-se profissionais de comics. Alguns dos membros reuniram-se anos depois para formar novos estúdios de produção de BD, como o Aparte e Banzai, e mais tarde, juntando-se a colegas do Estúdio da Bica, criaram a primeira formação do The Lisbon Studio.
Tem sido recorrente celebrarmos o aniversário do estúdio com jam-pieces (i.e. desenho colaborativo); em 1996, uma recriação de Heróis Renascidos começou a tradição e, em 2000, foi seguido duma jam dos Marvel Knights; talvez façamos uma nova peça conjunta em breve.
Para além de algumas BDs curtas, trabalhei em quatro projectos durante o meu tempo no Fantasia: Gennan (1995-1996) no Fantasia Studio Portfolio (1995); Rajada (1996), apresentado em BDzona #1, com uma 2a BD inédita, prevista para o #3; A Malta (1996), escrito por Pedro Potier, em BD-in-Folio #1; e Companhia de Vesta (1997), escrito por Eliseu Gouveia, também inédito.

17 setembro 2016

Tattoo: Angola

A composition of various elements related to Angola's culture, this digital illustration was produced as concept art, so it could afterwards be adapted to a private client's tattoo and incorporate into a “sleeve.”

Composição de elementos alusivos à cultura Angolana, esta ilustração digital foi produzida como arte conceptual, para ser posteriormente adaptada a uma tatuagem de cliente privado e incorporada numa “manga.”

11 setembro 2016

1ª Conversa(s) sobre BD

Inaugurada no final de 2015, a Bedeteca José de Matos-Cruz começa a oferecer programação ao público e fãs de BD através do ciclo mensal “Conversa(s) sobre Banda Desenhada”, moderado pelo escritor e investigador José de Matos-Cruz e com um novo convidado em cada sessão. No próximo Sábado 17 de Set., o mestre José Ruy abrirá o palco, falando sobre a sua experiência enquanto criador de arte sequencial. A entrada é gratuita, começando o encontro às 16h00.


09 setembro 2016

Blast from the Past: ExpoBD'96

Time to do some time-traveling: twenty years ago, the comic-book and cartoon sallon ExpoBD'96 took place in Montijo, this being the first of its kind event in my hometown. Part of a high-school final project and conceived/organized by myself, with the valuable help from three classmates, the sallon took up the school's gym and was successful in broadening the student body's horizons regarding the comics field, which was then unaccessable to those living outside of Lisbon. Having had an excelent turn-up by students, we also got outside visitors, thanks to the divulgation done by Marcos Farrajota (Chili com Carne), by Pedro Silva and Paulo Costa (BDmania comics' store), amongst further promotion afforded by the portuguese comics' community.



The sallon focused on two exhibits, a solo one of mine and a collective to which local artists were invited, like António João Rodrigues (cartoonist) and António Aires (plastic artist), plus outside authors, like Daniel Baptista (Morte), Rui Gamito (Fato-de-Macaco) and Jorge Coelho (Polarity). Completing the experience, two comercial stands were present, one oriented for mainstream comic-books, by BDmania comics store, and another for portuguese editions, featuring Chili com Carne, with books from Polvo Editions and self-publishers, such as José Carlos Fernandes, Pedro Brito, and newcomers Bruno Matos and Nuno Duarte, with their character Lusitano.
Aside from the recently released fanzine Luso Comix #1, printed by Matos/Duarte, I published a ExpoBD'96 catalogue, reproducing works from all participating artists, but mostly featuring short comics of mine. Limited to a couple dozen copies, the first edition quickly sold out, leading to an expanded reedition that was featured later that year at Amadora's International Comics Festival.


Altura de uma viagem ao passado: há vinte anos atrás decorria a
ExpoBD'96, um salão de banda desenhada e cartoon que foi o primeiro evento do género na minha cidade-natal, Montijo. Enquadrada em projecto final do liceu e concebida/organizada por mim, com a valiosa ajuda de três colegas - o Yannick, Luís e Emanuel -, o salão ocupou o ginásio do Liceu Jorge Peixinho e foi bem-sucedido a abrir os horizontes dos estudantes face ao sector, que era então de difícil acesso a quem vivesse fora de Lisboa. Com excelente adesão pelos alunos, teve inclusivamente visitas de fora, graças à divulgação por Marcos Farrajota no suplemento My Precious Things do fanzine Mesinha de Cabeceira, e por Pedro Silva e Paulo Costa nos newsletters da livraria BDmania, entre outros destaques realizados pela comunidade de BD.

Comic by Daniel Maia (1996)/Illustration by Jorge Coelho (1995)
O salão focou-se em duas exposições, uma individual minha e uma colectiva para a qual foram convidados artistas locais, respectivamente António João Rodrigues (Cromos da Bola) e António Aires (artista plástico), assim como autores de fora, como Daniel Baptista (Morte), Rui Gamito (Fato-de-Macaco) e Jorge Coelho (Polarity). A completar a experiência, estiveram presentes bancas comerciais, a primeira focada em comics, pela BDmania, e a segunda em produção nacional, gerida pela Chili com Carne, mas também com edições da Polvo e de diversos autores de fanzines, tais como José Carlos Fernandes, Pedro Brito, e os recém-chegados Bruno Matos e Nuno Duarte, com o seu Lusitano.


Illustration by Daniel Maia & António Aires (1996) /
Comic by António Aires (1996)
Além do destaque à novidade Luso Comix #1, editado por Matos/Duarte, publiquei o epónimo catálogo ExpoBD'96, que reproduziu trabalhos dos autores participantes, mas que na maioria incluiu BDs minhas. Limitado a algumas dezenas de exemplares, a 1a tiragem esgotou depressa, levando a uma reedição expandida mais tarde nesse ano, para distribuir no Festival Internacional de BD da Amadora.


01 setembro 2016

Hero Sketch XIX | Esboço de Herói XIX

Time to share artwork – let's start with the basics, like sketches and warm-up drawings. And I figured I could have most of these feature Aquaman, since he's the breakout character shown in Justice League's recent first teaser.


Está na hora de partilhar trabalhos – começo com o básico, como esboços e desenhos de aquecimento. E pensei em mostrar na maioria o Aquaman, já que ele é o personagem em foco no recente teaser da Liga da Justiça.